Skip to content

SCOTT STORCH – BIOGRAFIA – PARTE II

01/10/2010

Scott Storch

FILADÉLFIA E A SUA INDEPENDÊNCIA

Era uma manhã comum na escola Bensalem High, quando um novo estudante estacionou o Porsche de seu pai nos arredores do colégio. Vanessa Bedillo comenta com as suas colegas, quem seria aquele cara da Flórida vestido que nem Don Johnson? Scott Storch seria o primeiro namorado de Vanessa. Scott passava a maior parte de seu tempo escolar desenhando carros e divagando sobre música. Após o horário letivo, o produtor tocava Tears For Fears para Vanessa, em seu piano recentemente despachado para Storch por sua mãe.

Phil Storch podia ser considerado um pai muito ausente, apenas sustentando o filho, até que o deixou completamente sozinho e se mudou para New York City. Após a saída de seu pai, Scott nunca mais voltou para escola, e começou a trabalhar em um pequeno bar italiano e em um estúdio musical, como assistente.

Aos 17 anos, Vanessa ficou grávida de Storch, que não apareceu para o nascimento de seu filho, Steven. Aspirante a atriz, Vanessa teve que abandonar seu sonho e começar a trabalhar em diversos pequenos empregos. Ela só veria Scott de novo 11 anos depois.

Em 1992, um olheiro da indústria da música, Derek Jackson, estava em uma pequena festa no norte da Filadélfia, quando um estranho grupo, consistindo em um cara com um afro gigante na bateria, um rapper veterano, um jovem rapper, e um cara pequeno no teclado, se preparava para entrar no palco. Jackson gargalhou quando viu o grupo, mas ao iniciarem seu show, ele mesmo afirmou: “Foi memorável”. Assim foi iniciada a carreira do Roots, uma das bandas de hip hop que mais perduraram pelo tempo.

O pequeno garoto nos teclados era o cérebro criativo do grupo: Scott Storch, o jukebox humano. Seus companheiros de banda costumavam falar nomes de músicas – qualquer coisa que ficou no Top 40 nos últimos 20 anos – e assistiam Storch fazer a sua mágica nas teclas do piano.

Scott e uma de suas ex-namoradas, Kim Kardashian

Cada membro da banda ganhava 40 dólares por dia, para alimentação e outros lazeres como puxar um baseadinho, heim magnata??. Enquanto isso, Storch dirigia um Jaguar XJ e morava com sua nova namorada, em um apartamento em South Street. Dice Raw, seu companheiro de banda (o jovem rapper), comenta que Scott estava quebrado que nem todos os outros membros, mas gastava todo o seu dinheiro assim que recebia, pois afirmava que o pagamento o fazia ficar preguiçoso, então precisava se livrar rapidamente do cash para estimular a sua produçãoE então aparecia com uma Range Rover nova. Ou um novo Rolex.

Storch não gostava muito da estrada, de tours. Então, quando Derek, que se tornara seu empresário, lhe deu U$ 10.000,00 de sinal para participar de um trio de hip-hop/soul/pop chamado de Madd Crop, ele abandonou os Roots prontamente. O trio nunca conseguiu lançar um álbum, mas marcou a fulminante entrada de Storch para o mundo musical. Chuck Treece, seu companheiro no Madd Crop, lembra de Scott como um “tirano no estúdio”, pegando diversos estilos musicais como Barry White, the Ohio Players, Stevie Wonder, e mixando com a drum machine e adaptando ao estilo do trio musical.

Em 1998, Scott conhece Dr. Dre através da rapper Eve.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: