Skip to content

B.M.F – BLACK MAFIA FAMILY – PARTE IV

19/09/2010

DVD sobre a B.M.F.

A LIGAÇÃO COM O HIP-HOP

Com seu império do narcotráfico reinando em diversos estados dos EUA, Big Meech, que foi criado em Atlanta com a cultura da black music, resolveu unir o útil ao agradável. Dispondo de uma larga quantia de dinheiro, o líder da B.M.F resolveu investir no mundo da música, inaugurando a BMF Entertainment, seguindo o exemplo de uma das lendas do hip-hop, Eazy-E, que com o dinheiro do tráfico de drogas, iniciou a Ruthless Records e um dos maiores grupos de gangsta rap que já existiram, se não o maior, o N.W.A.

Aberta a gravadora, Big Meech iniciou apenas um artista, Bleu DaVinci, o qual realmente carregava o selo BMF Entertainment em suas músicas. Apesar de ter apenas um artista realmente contratado, diversos rappers atualmente consagrados pela mídia foram impulsionados pela atuação de Big Meech e da BMF Entertainment, como Fabolous, Slim Thug e, especialmente, Young Jeezy.

Bleu DaVinci

Em recente entrevista feita por Mara Shalhoup, transcrita em seu livro “BMF – The Rise and Fall of Big Meech and The Black Mafia Family”, Big Meech afirma que o ponto alto de sua “carreira” de 15 a 20 anos no tráfico de drogas, foi o apoio que ele deu para Young Jeezy crescer no mundo do hip-hop. A B.M.F costumava promover festas para o rapper poder divulgar seu trabalho, além de prover diversas jóias e carros de luxo para os videoclipes do artista.

Na mesma entrevista, Big Meech afirma que tinha esperança que a sua gravadora o ajudasse a fazer a transição do tráfico de drogas para o mundo da produção musical, através de seu carisma e é claro, com a ajuda dos milhões de dólares provenientes do tráfico.

Big Meech, promovendo o Hip-Hop da B.M.F Entertainment

Recentemente o rapper de Miami, Rick Ross, lançou uma faixa entitulada “B.M.F (Blowin’ Money Fast)”, na qual faz menção a Big Meech e Larry Hoover (líder de uma das maiores gangues que já existiram nos EUA). A música foi recebida com uma certa tensão por parte dos rappers, visto que Ross não possuía nenhuma ligação com a B.M.F. Young Jeezy aumentou esse clima de tensão ao lançar uma música com o mesmo nome, mas posteriormente alegou que a música não foi dirigida ao rapper Rick Ross.

Algumas fontes confirmam que Big Meech aprovou a música, ao escuta-la na prisão.

Confira a história da B.M.F.:

Parte III

Parte II

Parte I

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: